A nova televisão: do YouTube ao Netflix

A televisão mudou. Muito. O suporte que vem sendo a base do consumo audiovisual no mundo inteiro, desde meados do século XX, se transformou radicalmente nas últimas duas décadas. Para muita gente, a TV está condenada ao desaparecimento. Entretanto, como defendia Marshall McLuhan, os meios não desaparecem; eles se transformam.

Este livro, organizado pelos pesquisadores Alfredo Caminos, Ana Sílvia Médola e Abel Suing, coleta uma reunião de estudos sobre esse período mutante, marcado pela invenção do YouTube, em 2005, e que pode ser observado de maneira intensa nos dias de hoje, com o Netflix.

O livro resulta de um call for papers internacional.  O capítulo que escrevi analisa o som da minissérie Game of Thrones (2011-2019), de uma perspectiva estilística, comparando-o com as seis convenções sonoras cinematográficas, descritas por David Bordwell e Jeff Smith como a poética da continuidade intensificada. O objetivo é saber até que ponto os aspectos sonoros de ficções televisivas e cinematográficas se parecem.

O e-book, publicado pela Ria Editorial (Portugal), é gratuito, e pode ser baixado no link a a seguir:

http://shorturl.at/iLTU3

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s