Homem que Luta Só, O

[rating: 5]

Western clássico. Budd Boetticher, 1959. Um dos sete filmes em parceria com Randolph Scott, esse último sempre interpretando caçadores de recompensa vingando a morte da esposa.

O cenário aqui é o deserto. O esquema de cores meio ridículo aos olhos de hoje (a camisa rosa da mulher, a vermelha do bandido, muitos verdes e amarelos explosivos), mas o filme é fantástico. Um dos melhores de Boetticher, e olha que o cara só fez filme bom!

Cenários super-bem usados, o cenário rochoso da abertura ao set maravilhoso e circular da árvore dos enforcados no final. Aliás, excelente duelo! Influenciou os filmes de Sergio Leone na década seguinte.

É curto, sem psicologismos, tem pouco humor (é mais amargo do que o habitual para o diretor). Para os padrões atuais, os índios não parecem índios (pinturas de guerra bem fake). Mas não se pode esquecer que este é um western B. Orçamento minúsculo.

Trecho do ataque dos índios no deserto (proteção em um rancho abandonado) muito bem encenado. Poucos takes, tudo em planos gerais, cavalos caindo, tudo de verdade, sem truques de edição.

Elenco muito bom nos seus papéis, a mulher é linda. O quase-vilão é muito legal, quase rouba o filme. O quase-duelo no final é meio previsível (ah, os códigos…) mas funciona. A última imagem da árvore e chamas é poderosa. E os destinos dos personagens, perfeito.

Anúncios

7 comentários em “Homem que Luta Só, O

  1. Recomendaria, sim. Esses dois filmes que você citou são cheios de subtexto psicológico. Budd Boetticher é curto e grosso, vai direto ao ponto. O filme tem pouco mais de uma hora. Cá pra nós: um diretor que começou a filmar depois de ser jogador de futebol americano e toureiro não poderia dirigir filmes “normais”, nem se tentasse.

    Curtir

  2. Bom, fiquei super curiosa… nunca pensei que Três homens em conflito e Era uma vez no oeste seria só o gatilho para idas frequentes a Western da locadora… E ainda com o privilégio de não “errar” nos filmes, depois dos rascunhos do nosso especialista. rsrsrsrs ;-p

    Curtir

  3. Boetticher só tem filmão. Todos filmes da sua parceria com o Randolph Scott merecem ser vistos, com destaque para Sete Homens Sem Destino, O Homem Que Luta Só e Cavalgada Trágica. Preciso assistir o filme de máfia do Boetticher, O Rei dos Facínoras. Tu já viste, Rodrigo?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s