Crepúsculo

[rating:2.5]

Desde que estreou na direção com o drama juvenil “Aos Treze” (2003), a cineasta Catherine Hardwicke demonstrou sensibilidade para compreender e traduzir visualmente os dramas, sonhos, desejos e angústias dos adolescentes. Ela se especializou na área e, por isso, foi a escolha natural dos produtores para dirigir o episódio inaugural da saga juvenil de amor entre um vampiro e uma garota, publicada pela escritora mórmon Stephanie Meyer e de enorme sucesso nos Estados Unidos. “Crepúsculo” (Twilight, EUA, 2008) dá partida na série realizando o primeiro filme sobre vampiros vegetarianos da história do cinema. Na verdade, o longa-metragem passa longe do horror/suspense que se espera de uma produção protagonizada por dentuços chupadores de sangue. O que temos aqui é um drama romântico teen com visual emo e subtexto carola até o pescoço (sem trocadilho).

Comercialmente ambicioso, “Crepúsculo” foi concebido pelo estúdio como o ponto de partida de uma nova saga com potencial para substituir o bruxo Harry Potter no imaginário adolescente do século XXI. Amparado pela fenomenal vendagem nos Estados Unidos (25 milhões de cópias dos livros foram despejados nas lojas antes mesmo da estréia do primeiro filme), o longa-metragem até que saiu barato, tendo custado apenas US$ 37 milhões. Só no primeiro final de semana em cartaz, faturou o dobro disso, tornando-se um fenômeno teen e transformando os atores Robert Pattinson (de “Harry Potter e o Cálice de Fogo”) e Kristen Stewart (“Na Natureza Selvagem”) em astros de porte razoável. Nada mal para um filme que tencionava pouco mais do que gerar uma franquia juvenil lucrativa.

Não é difícil entender o apelo do filme ante o público adolescente. De fato, Catherine Hardwicke se mostra a escolha perfeita para a direção, e isto fica evidente nos dois primeiros atos, enquanto ela se concentra na apresentação dos inúmeros personagens secundários e na evolução da paixão entre a tímida Bella Swan (Stewart) e o lacônico Edward Cullen (Pattinson). A ação acontece numa pequena cidade do Estado de Washington, onde o clima úmido deixa o céu nublado e esconde o sol na maior parte do tempo, criando o ambiente perfeito para uma família de vampiros viver. Enquanto a temperatura entre os dois pombinhos esquenta – ele tenta evitar a paixão de todas as formas, sem sucesso, enquanto ela vai descobrindo coisas estranhas a respeito dele – Hardwicke se esmera em criar uma ambientação adolescente bastante crível.

Esta ambientação é o ponto forte do trabalho da diretora, e exerce inegável atração na platéia adolescente. Figurinos, gírias e penteados emo garantem máxima identificação entre personagens e membros da audiência, enquanto a velha e eficiente trama do amor impossível angaria empatia universal e quase imediata. O visual – Hardwicke foi designer de produção de filmes como “Vanilla Sky” antes de virar diretora – é correto, com destaque para a fotografia macilenta que abusa da luz difusa para reforçar a palidez dos habitantes da tal cidade. E o cuidado com a caracterização da história vai além. A cineasta sabe traduzir visualmente sentimentos como inadequação e desejo adolescente, o que reforça ainda mais a identificação com eles. Nesse sentido, “Crepúsculo” cumpre a função de suprir a lacuna deixada pela saída de cena de Harry Potter.

Como cinema, por outro lado, o longa-metragem é desequilibrado e superficial. O roteiro, escrito por Melissa Rosenberg, dedica tempo demais à apresentação de personagens cuja importância da trama é absolutamente nula, esticando a duração além do limite aceitável. Talvez esses personagens venham a ter importância mais adiante, na franquia, mas se assim for, parece que a equipe criativa não aprendeu a lição deixada por “O Senhor dos Anéis” (não esqueçamos que Gollum, figura central da trama, mal aparece no primeiro filme). O resultado é que a trama central do filme em si, que ocupa apenas o terceiro ato, soa apressada e confusa, contrapondo os “vampiros vegetarianos” do bem a um grupo de sanguessugas do mal que esbanja caras e bocas, e age sem qualquer motivação.

As cenas mais agitadas, como o passeio romântico do par central pelas árvores da floresta da região e a partida de beisebol debaixo de tempestade (alguém aí saberia explicar porque vampiros gostam, nessa série, de jogar sob raios?), são editadas de forma irregular. O estilo de montagem abusa de cortes rápidos e alterações bruscas na velocidade de projeção, alternando entre câmera lenta e rapidíssima, de forma a esconder a fragilidade dos efeitos especiais. Por outro lado, Catherine Hardwicke usa a maquiagem de maneira discreta e inteligente. A pele dos vampiros é tão pálida que quase chega a ser translúcida, e a brancura da pele de Bella serve como índice visual para explicar a atração exercida por ela em Edward.

Acima de tudo isso, porém, o que realmente chama a atenção é o conservadorismo comportamental e sexual do discurso assumido pelo filme. O paralelo entre a situação dramática principal – o vampiro que se recusa a sugar o sangue de sua amada – e a virgindade é tão óbvia e direta que pode ser reconhecida por qualquer adolescente. Ou seja, “Crepúsculo” é um filme de vampiros carolas, por mais contraditório que isso possa parecer. O subtexto até que apresenta alguma semelhança com longas como “Entrevista com o Vampiro” (1994), mas sem a sutileza e a complexidade do filme de Neil Jordan. É fato: cada geração tem o “Garotos Perdidos” (1987) que merece.

O DVD de locação da Paris Filmes preserva o enquadramento original (widescreen anamórfico) e tem seis canais de áudio (Dolby Digital 5.1). Já a edição dupla traz também cenas cortadas com introdução da diretora, um making of e cenas de bastidores das gravações.

– Crepúsculo (Twilight, EUA, 2008)
Direção: Catherine Hardwicke
Elenco: Robert Pattinson, Kristen Stewart, Billy Burke, Peter Facinelli
Duração: 122 minutos

45 comentários em “Crepúsculo

  1. Não sei se é o espaço apropriado mas tem um seriado: True blood, que trata de cientistas japoneses que desenvolvem sangue artificial o que passa a permitir que vampiros e Homens possam conviver. foi ao ar nos Eua, com 12 episódios, estréia no Brasil em Janeiro (2009) pelo HBO, parece mais interessante que esse filme EMO.

    Curtir

  2. Rodrigo, tenho uma filha adolescente que adora ler e de tanto ela falar do livro Crepúsculo, acabei lendo. Mesmo muito ocupada, e longe de ser teen, li toda a saga (4 livros) em 3 semanas. Achei tudo fantástico. Adorei, e foi bom comentar o livro com ela. por isso estou ansiosa para ver a filme amanhã. Mas já consigo ver que voce deve ter razão sobre a apresentação dos personagens.
    XXX

    Curtir

  3. Concordo e discordo de muitas observações feitas nessa matéria.
    Primeiramente, gostaria de afirmar que, sou sim uma fã da série de Crespúsculo, mas tenho minhas críticas à repercussão que esse livro está tendo.
    Eu acho, sinceramente, que Crespúsculo está beeem longe de ser “uma nova saga com potencial para substituir o bruxo Harry Potter no imaginário adolescente do século XXI”. Crepúsculo é um romance/drama com um pouco de suspense para os adolescentes, mas Harry Potter é um livro que está longe de ser descrito por termos assim, afinal ele tem de tudo e mais um pouco. Fora toda a magia – que também há em Crepúsculo, mas em dimensões e aspectos totalmente diferentes -, tem romance, tem muito mais (sem comparação) suspense, aventura, comédia, drama, análises pscicológicas, lições de vida e a forma de expressar tudo isso é bem diferente e, me atrevo a dizer, mais elaborada. Crepúsculo é um pouco clichê apesar de tudo.
    Sobre o filme, acho que os atores foram muito bem escolhidos, a grande maioria eu achei bem adequado para o seu personagem. E acho que, sobre o trecho da matéria que diz: “A cineasta sabe traduzir visualmente sentimentos como inadequação e desejo adolescente”, os créditos por isso deveriam ser dirigidos aos atores e não à cineasta.
    “[…] o longa-metragem é desequilibrado e superficial. O roteiro, escrito por Melissa Rosenberg, dedica tempo demais à apresentação de personagens”. Concordo, eu achie que o roteiro ficou deixando MUITO a desejar. As vezes as cenas apareciam meio soltas, ou meio sem explicações concretas. Se alguma pessoa que não leu o livro for ver o filme, talvez ela não entenda como as coisas ocorreram de fato. Sem falar que mudaram muito as cenas do livro, o que é totalmente desnecessário, acho que, claro o filme é sempre uma adaptação e o diálogo e algumas cenas, tem que mudar para que o filme seja mais dinâmico e ao mesmo tempo explicativo, porém esse roteiro, além de adaptar MUITO MAL as cenas do livro, não soube fazer a seqüencia do filme direito.
    “As cenas mais agitadas […] são editadas de forma irregular. O estilo de montagem abusa de cortes rápidos e alterações bruscas na velocidade de projeção, alternando entre câmera lenta e rapidíssima, de forma a esconder a fragilidade dos efeitos especiais.” Concorda plenamente.

    Apesar de grande fã da saga de Crepúsculo, vocês podem perceber que eu fiquei decepcionada com o filme. No começo achei tudo o máximo, pois ps atores são ótimos e lindos, mas depois, com as mudanças das cenas, de ver o filme por completo, não fiquei satisfeita e acho que alguém que não tenha lido o livro, não vai gostar do filme.
    Bom, é só isso. (risos)

    Curtir

  4. Eu confesso que fui assistir a este filme sem esperar muita coisa e acabei adorando. Posso dizer que a historinha de amor entre Edward e Bella me conquistou por completo. Acho engraçado que o conservadorismo do filme/livro seja uma das razões para o seu sucesso, afinal a gente vive num mundo em que o comportamento dos jovens, muitas vezes, vai de encontro a isto. 🙂

    Curtir

  5. Rodrigo, os vampiros gostam de jogar beisebol embaixo de trovões, porque o barulho que a bola causa quando bate no taco é altíssimo. Assim é descrito no livro, e não ficou claro no filme.

    Curtir

  6. eu adorei o filme, muito bom, e o elenco é fantástico (hoho). Adorei a crítica, foi bem sincera. E os vampiros gostam de jogar sob raios acho que por conta do barulho do bastão, por conta da força deles.

    Curtir

  7. Achei terrível a maquiagem pra resaltar a palidez. Falso, falso. E os efeitos especiais pra mostrar a velocidade dos vampiros são sofríveis.

    Comparado ao livro, o filme é um terror =)

    Curtir

  8. Acho que não vi o mesmo filme aqui que a maioria, mas como falam de vampiros emos vegetarianos, acredito que tenha sido esse Crepúsculo que tive o desprazer de ver… e por duas vezes! Sim, conquistei o paraíso após tanto sofrimento.

    O filme é banal, mal desenvolvido, mal dirigido, pessimamente interpretado (exceto pela Kristen e seu pai no filme, Billy, que conseguem dar um pouco de dignidade às atuações), com lindos DEFEITOS especiais e uma maquiagem assustadoramente ruim. É uma colagem mal feita de vários filmes cujo visual final é extremamente indigesto.

    Ah, não li o livro mas o filme deixa bem claro o porquê de jogarem sob a chuva forte. Logo após a primeira rebatida e um som alto (e diga-se de passagem estranho para um som de bola batendo na madeira, ou seriam outros os materiais utilizados?) a Bella fala algo mais ou menos assim: “É por isso que vocês jogam na chuva…”

    Curtir

  9. Olhe só, eu sugiro uma coisa, se vocês que fizeram a reportagem nao gostam de crepúsculo, não precisam ficar falando mal, porque olha, USAR ROUPAS XADREZ E LISTRADAS, E USAR A FRANJA UM POUCO PRO LADO É SER EMO? então, DESCULPE queridos, todos somos EMOS, ¬¬’
    Se vocÊ não gosta de uma coisa, você não tem direito algum de falar mal, porque tem quem goste, e se não fosse bom , não teria arrecado milhões de dólares, e a escritora é brilhante, e olha só, se vocês falam mal, tem inveja, porque aposto que não conseguem fazer melhor do que CRITICAR COM UMA MATÉRIA SUPER DECADENTE, sério, eu estou fazendo uma crítica construtiva, estou falando, se invés de fazerem críticas negativas, fizessem positivas, o mundo estaria bem melhor, e olha só, se vocês não gostam, estou pedindo, encarecidamente, não façam críticas negativas, tem muita gente que gosta, e se você não gosta disso, crie reportagens sobre coisas que vocÊ gosta, ao invés de ficar cuidando pra que as pessoas fiquem bravas com certos sites porque você criticou a coisa que elas MAIS gostam, então, se eu fosse vocês, usaria a criatividade, e escreveria sobre algo mais construtivo, do que sair chamando eles de emo, porque aposto que até vocês tem as blusinhas xadrez de vocês pra usarem, ou se não listradas e de bolinhas.
    E desculpe parecer grosseira, não foi a minha intenção, só estou abrindo os olhos de vocês.

    Curtir

  10. Quem leu o(s) livros(s) não vai gostar do filme..e quem apenas viu o filme, não terá vontade de ler os livros.
    Os atores são péssimos (com poucas exceções, como Charlie, o pai de Bella), a maquiagem é terrível, as tomadas visuais são completamente previsíveis, e além disso, a história original foi deturpada, transformando, por exemplo, os Cullen, em alguma família de sitcom. Poderiam chamar o Leslie Nielsen para fazer o papel de Carlisle…lamentáveis também os “efeitos especiais” que perdem até mesmo para os episódios de Chapolim Colorado.

    E só um acréscimo: Gollum é o personagem principal de O Senhor dos Anéis? O filme talvez tenha passado essa impressão…é mais um caso sutil de adaptação do livro para o filme. Estou chegando à conclusão de que manter o nível do que foi escrito nas telonas é impossível. O personagem principal desta trama é Frodo Bolseiro – mesmo com a intenção do autor de manter vários pontos de vista simultâneos, o Portador do Anel é a linha mestre do enredo.

    Curtir

  11. nao sei se ja responderam, mas eles jogam sobe a tempestade pois como são muito fortes as rebatidas acabam fazendo muito barrulho e os trovões e raios disfarçam, bom é +ou- isso…

    Curtir

  12. a unica coisa que eu achei de ruim no filme é que falta contexto, o filme nao tem liga…falta mesmo alguma coisa ali…e aquela parte do livro em que a bella vai se encontrar com o vampiro james pois acha que a mae dela esta com ele, nossa só foi aquilo que eles fizeram? nao da para acreditar, justo os americanos que adoram um cena de ação… muito mucufa, espero que o proximo seja melhor que faça jus aos livros.
    ah, alguem sabe se eles vao filmar toda a saga? fico imaginando…sera que eles vao começar uma coisa que nao vao terminar???

    Curtir

  13. Olha, sinceramente não acho essa crítica muito boa.
    O livro da Stephenie Meyer dá de 10 a 0 no filme, porém o filme também é muito bom. Como qualquer outro filme que é baseado em um livro de pelo menos 300 páginas, não conta detalhadamente todos os detalhes do livro e nem consegue colocar na tela todas as cenas descritas por Stephanie. Mesmo assim o filme é muito mais que satisfatório. Catherine (diretora), colocou ainda uma pitada de humor no filme para que o mesmo não parecesse um simples proibido amor juvenil.
    Sem querer ofender, mas acho que Rodrigo Carreiro não leu nenhum dos livros da saga Crepúsculo e não pode avaliar o filme com tanta clareza. E concordo com a Viviane, muita gente fala isso sem se quer ter tocado no livro. Se você leu Harry Potter 5 e viu o filme também vai achar uma porcaria porque o filme não explica e muda muitas coisas do livro. Como eu já disse antes, NÃO TEM COMO UM LIVRO DE MAIS DE 300 PÁGINAS VIRAR UM FILME SUPER EXPLICADO DETALHANDO CLARAMENTE CADA CENA, CADA PÁGINA! SE FIZESSEM ISSO O FILME IA TER NO MÍNIMO 3 HORAS!!!!!
    Esse cara deu 3 estrelas e meia para Crepúsculo e deu 4 estrelas para um filme chamado O Nevoeiro, o qual eu aluguei na semana passada, e sinceramente foi um dos piores filmes que eu já vi! Você agradece quando o filme acaba, porque nada em o Nevoeiro presta!
    Rodrigo, leia o livro, veja o filme novamente e faça a sua crítica!!!!! Não julgue o filme assim , porque você sequer entendeu a parte do baisebol, na qual o filme deixa bem claro porque os vampiros precisam da trovoada para jogar!!!!!!!!!!
    Desculpa se eu ofendi alguém, mas é isso que eu penso!

    Curtir

  14. Vanessa, de fato eu não li nenhum livro da série (em minha defesa, em momento algum do texto eu digo que li). Queria apenas ressaltar duas coisas: 1) não acho que o filme é ruim pelo fato de não ter decalcado o livro; ele é ruim porque a diretora conta a história de modo confuso (como bem ressalto na questão das trovoadas) e clichê; e 2) filme é filme, livro é livro. A crítica se refere apenas ao filme.

    Curtir

  15. Gente, sinceramente não sei como podemos gostar de livros no estilo crepúsculo. As mulheres por um acaso pensariam durante 4 livros se iria dar o pescoço ou não para o vampiro? não sei não.. o livro torna-se chato porque é muito centrado no casal e as conversas dos dois são chatas e alguns momentos infantis. Bella só pensa nela. Ela tem mãe e pai, mas na realidade lembra tão pouco da mãe que a autora do livro às vezes até esquece que a personagem tem mãe e coloca ela para mandar novamente um email para a mãe. O livro peca por falta de ação e o filme tentou dar ação onde não tinha. O trailer do filme é completamente falso ao mostrar um filme cheio de ação e suspense. Além dos vários mitos de vampiros caem por terra. De todos os mitos que a autora ignorou sobre os chupadores de sangue, tirar as famosas e necessárias presas que eles usam como modo de dar na mordida no pescoço.. essa é demais. Moderno é moderno, mas às vezes tudo é passado do limite. Será que Bella não pensou que, tornando-se imortal para ficar com seu vampiro, ela abdicaria da sua mãe, do seu pai, amigos e todo o resto? será que vale a pena?

    Curtir

  16. Lendo o livro ou nao não é o caso pois muita gente ve o filme sem ler o livro, entao a critica tem que ser feita sem ler o livro de preferencia, que aí as confusoes ficam mais nitidas.

    se ele tivesse lido o livro nao ia dizer que é confuso porque ele ja saberia melhor, eu achei um lixo o filme. e sucesso mesmo faz 99% dos casos só com meninas, porque esse lance emo e de amor e abstinencia sexual nao cola muito entre os rapazes.

    Curtir

  17. Não concordo com você Victor!!!
    Primeiro: O filme não tem nada de emo. Porque sabe, tudo hoje em dia que é puxado pro lado romântico, as pessoas vão logo dizendo que é emo. Emo são vocês que ficam falando mal das coisas por ai, que não tem nada pra fazer. Tudo bem se você não gostou, cada um tem uma opinião. Agora você dizer que é emo é brincadeira!
    Eu sou um rapaz e gostei do filme!
    É romântico? É, é sim e dai??? Tem um pouco de ação e a trilha sonora se encaixa perfeitamente com o filme!!
    Adorei.

    Curtir

  18. o que o autor considera “carola” ?? será que acha que gravidez adolescente e prostituição idem, por exemplo, são assuntos sérios apenas para “carolas” ?? o “crítico” se tem por muito ‘antenado” na sua época, deve achar que não querer levar logo para a cama alguém é coisa de “carolas”, logo, o melhor mesmo é levar para a cama o quanto antes, não ?? o que me dá a impressão de que BEM ADOLESCENTE, bem menino de 14 anos , em sua mentalidade, é mesmo o autor desta “criticazinha’ sobre “Crepúsculo” …

    Curtir

  19. Adorei ler o livro, porém, me decepcionei muito qdo fui ver o filme…. Sinceramente, acho que foi uma completa incopetência de quem o adaptou para o filme, muitas informações ficaram ocultas, como cada um se tornou vampiro, o James contando como Alice se transformou, faltou. O passeio no sábado, e acrescentam coisas inúteis como a morte misteriosa de duas pessoas, que nem tinha no filme. Graças a essa ” trabalhosa adaptação” o filme se tornou totalmente desinteressante em relação ao livro.
    Mas também, tenho que elogiar o elenco, fantástico! Todos, porém a Bella deixa muito a desejar, ela parece mais uma pessoa falsa do que calada, pois ela mal falou com seu pai, mas o problema não foi da atriz, pois vejo que ela é ótima. No mais todos me surpreenderam. Principalmente o James, Jasper, Alice, Rosalie, Jacob, Jess…. Enfim, espero que o próximo filme, Lua nova seja capaz de tirar essa impressão que ficou sobre Crepúsculo.

    Curtir

  20. bem… O Livro é ótimo… e pra quem leu o livro o filme tb se torna bom! Acho que um livro não deve ser comparado com um filme… Um livro sempre é melhor pq é mais explicado. O sentimento que rola entre Edward e Bella é mais claro! Mais o Filme do livro ficou legal…Como todo filme, ele tb passou por algumas adaptaçãoes que fugiram do roteiro do livro, mais foram mudanças toleráveis
    No livro, tudo é decritivo, então a emoção que rola entre Edward e Bella é bem colocada, tanto quanto as dificuldades do amor entre eles.
    Bem, e em relação ao Trovão, quando o taco acerta a bola e quando Edward se choca com Emmett, o barulho é altísimo, logo que a força do choque causa isso… então fica estranho a cidade ouvir barulhos assim, sem estar chovendo!

    Curtir

  21. Não consigo enxergar algo de positivo nesse filme. Tecnicamente anêmico, efeitos de 5ª categoria, fotografia tímida, diálogos risíveis (você é pálido, forte – só pode ser um vampiro! kkkk) e atuações robóticas.

    A questão dos valores religiosos é um ponto interessante de debate – seriam esses os Vampiros da Era Bush, cuja política de educação sexual nas escolas públicas é focada na abstinência e no conceito de que sexo é algo misterioso e repulsivo?

    Sinceramente minha experiência sensorial foi drásticamente afetada pela gurizada com a piadagem fora de hora e comportamento hiperativo, mas creio que esse foi o único filme que eu cogitei seriamente em levantar e ir embora na metade.

    Eu estava com o livro Crepúsculo na minha cabeceira, tinha resolvido “dar uma chance” à ele, mas após o filme criei um conceito negativo do que aquelas páginas me reservavam. Talvez numa tarde de muito tédio daqui à uns anos eu me arrisque, por enquanto, vai prá prateleira denovo.

    Curtir

  22. Jaime, dê uma chance ao livro, que é mil vezes melhor que o filme.
    Eu li o livro e vi o filme. O livro é muito melhor, porque o filme deixa a desejar, mas mesmo assim gostei .
    Maia, crepúsculo não é emo. Se você pensa assim, é porque não conhece ou não entendeu a história. Se trata de um romance e quem pensa assim não tem sensibilidade!!
    Gostei do filme, concordo que não é dos melhores mais não tem como rejeitar crepúsculo!
    Resumindo: Crepúsculo é uma linda história de amor!!!!!

    Curtir

  23. Primeiramente,acho muito restritivo rotular filmes românticos como sendo ” coisa de EMO” .O termo perdeu o sentido original e foi extremamente banalizado ,hoje em dia qualquer franjinha à toa é taxado como EMO. Rotular é pra gente que não tem a capacidade de entender as coisas ,ou a si mesmo, como substantivo e prefere criar uma série de adjetivos para diminuir aquilo que não compreende. Bem ,essa é minha opinião.
    Quanto ao filme…
    Li o livro,o que me chamou atenção foi o fato de que ,apesar de Stephanie Meyer se dedicar quase que exclusivamente ao relacionamento do casal,em 355 páginas ela não conseguiu dar profundidade aos personagens.Em nenhum momento senti empatia pelo sentimento dos dois,tudo é tão infantil e meloso.Sei que tem muitas pessoas que gostam ,respeito isso,mas achei o livro no máximo mediano e nesse quesito o filme foi extremamente fiel.

    OBS:1-O Rodrigo não tem obrigação nenhuma de ter lido o livro, a função dele é falar se o FILME convence ou não na tela ,afinal ele não é destinado apenas aos leitores do livro.
    2-Se vc está com preguiça de ver todos os comentários olhe o 12º de Viviane .Vale a pena para rir um pouco,afinal,segundo ela ,deveríamos falar apenas do que concordamos e não devemos criticar negativamente as coisas pois algumas pessoas podem gostar do que não aprovamos.hauhauahuaah…ridículo

    Curtir

  24. li todos os livros e curti o filme também…tudo bem que ele deixa de citar fatos importantes do livro e mistura algumas cenas, mas aprovei. 🙂
    e imaginava Alice exatamente como a personagem do filme, hehe!

    Curtir

  25. Eduardo, entendo sua posição a respeito da citação ao emo, mas não citei a palavra simplesmente porque o filme é “romântico” (aliás, nem acho tanto assim). Citei porque os garotos, especialmente os vampiros, têm aquela pele pálida e se vestem de maneira que ficam muito parecidos com os próprios.

    Curtir

  26. Roodrigo,na verdade, escrevi o comentário mais como um desabafo
    por comentários gerais que escuto no dia -a dia mesmo.
    Não foi minha intenção fazer parecer que vc estivesse rotulando o filme.
    Entendi quando vc disse: “drama romântico teen com VISUAL emo “.
    Foi mal não ter direcionado bem meu comentário.

    OBS:Não sou emo ,mas não gosto de pessoas que julgam tudo antes de conhecer.

    Curtir

  27. OK, entendo. Não tem problema, discordâncias são bem-vindas. Não creio que eu tenha feito um julgamento em si (o fato de alguém ser emo não quer dizer que este alguém seja bom, mau, feio, chato, gênio e nem qualquer outra coisa).

    Curtir

  28. Eu amei o filme, que assisti antes de ler os livros, no entanto ao ler os quatro livros da série, percebi algumas desvantagens no conteúdo do filme que só foram possíveis de entender após a leitura do primeiro livro, Crepúsculo. Bem, realmente no filme não fica fácil saber a razão do jogo com trovoes, mas após o livro..o barulho dos trovões ajudam a abafar o barulho que os vampiros fazem quando se esbarram, quando batem com força na bola, etc,rs!!!
    eu gostei muito do filme apesar disto e amei os livros, pena que já acabei de ler toda a série e agora estou com saudades dos personagens!
    M.O. Psicóloga (28)

    Curtir

  29. eu amei este filme todos os dias eu o asssisto pois eu gostei de mais deste filme pois como eduart e sua familia conseguem evitar sua sede de sangue de humano ele mandou muito bem com bela por nao ter sugado o sangue de bela e ter amado ela

    Curtir

  30. sou professora do ensino médio e de tanto ver minhas turmas com a saga crepúsculo nas mãos,resolvi ler tambémcomo curiosidade ,pra saber o que tanto lhes interessava e confesso que fiquei hipnotizada pela história, li os quatro livros ,além do rascunho de midnigt sun,em apenas uma semana,passei madrugadas lendo.o que posso dizer?é uma história de amor,simplesmente e o que os atraiu para essa história,é justamente o amor quase que espiritual entre os personagens,num contexto em que o sexo esta tão banalizado,um caso de amor em que ele esteja em segundo plano,como resultado de todas as outras ações é realmente distinto.quanto ao personagens vejo que edward e bella não tem uma relação lá tão saudável é verdade, o amor de edward é sofrimento puro,tornando para ela esta relação algo sofrível e até por isso, numa perspectiva sádica,prazeroso.quanto ao jacob,em eclipse e amanhecer eu desejei que ele morresse, tamanha a sua intromissão na relação dos protagonistas, mas depois eu o vi como sendo a alegria do pedaço.enfim,bella ficou entre a espiritualidade do amor de edward e a alegria física de jacob, por fim opta pelo que lhe dará prazer:o vampiro, ou alguém se esquece de drácula de brawn stocher, a sua vítima se entrega de corpo e alma, a mordida não gera só dor ,mas também prazer.bella não é mordida por edward, pelo menos, não fisicamente.quanto ao filme ,realmente não tenho palavras, chega a ser medíocre.

    Curtir

  31. O filme é ruim e a série de livros faz sucesso entre pessoas não habituadas à leitura, sejamos honestos. Qualquer ser cerebrado que saiba ler em inglês percebe no ato que a autora escreve mal. Ela se equipara à Paulo Coelho e J. K. Rowling, autores que exploram o filão leitores-que-lerão-no-máximo-treze-livros-em-toda-a-vida. Iniciar o hábito da leitura lendo Crepúsculo, Harry Potter ou O Alquimista é legal. Mas ficar a vida toda lendo isso é ridículo.

    Curtir

  32. Crepúsculo não é um filme emo! Só condiz mais com a realidade dos adolescentes, não só americanos como os brasileiros tbm. Oq vcs viram de emo nessa história? Vcs qeriam então q as personagens se vestissem com roupas estampadas e saíssem pulando amarelinha e contando piadas?! AFF! Se vcs acham q crepúsculo é emo é pq muitos de vcs não sabem como são os adolescentes de hoje em dia, e eu sei sim pois sou uma. OBS: Eu me emocionei tanto que chorei em várias partes e acho que o Edward e a Bella formam um lindo casal e tem muita química.

    Curtir

  33. Eu vi o filme na net, nem sabia do que se tratava. Quando o vampiro diz para a menina: “Eu nâo tenho forças para ficar longe de você”, eu, com meus 38 anos, macaca velha, cobra criada etc, eu confesso que BABEI, me derreti com a cena…
    gente, o amor é lindo!

    Curtir

  34. Não sou fã de crepusculo, mas gosto de ver o filme e o livro certas vezes me enjoou, mas não há motivos pra fãs qe se intitulam fãs de verdade virem aki no topico de uma reportagem xingar o autor. Se vc não qer qe as pessoas falem mal, não leia a reportagem. E se vc não concorda diga o pq e sua opinião assim como li uma pessoa fazendo. Estamos em pleno seculo XXI, não há motivos para defender uma historia qe não vai mudar a sua vida em nada, a não ser qe te deixe uma fã psicopata, não existem vampiros e essa historia nunca existirá, a não ser na imaginação. Não existe motivos para defender essa historia com unhas e dentes, a não ser qe vc tenha 10 anos de idade.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s