Blu-Ray x DVD

Os leitores mais atentos já devem ter aferido que eu não tenho ainda um Blu-Ray player. Esse é o principal motivo de o Cine Repórter ainda manter a denominação “DVDs” para a seção dedicada às críticas de filmes lançados para o mercado caseiro. Em breve, possivelmente em 2009, terei que mudar o título da seção para algo como “Home Video”. Mas essa já é outra história.

Tenho vários motivos para não aderir ao Blu-Ray de imediato. O maior deles é pessoal. Graças ao dia-a-dia atarefado e aos horários malucos, tenho visto mais filmes no notebook do que no meu home theater. Ao contemplar a possibilidade de comprar um Playstation 3 e uma TV de alta definição, agora em dezembro, decidi que seria muito dinheiro gasto para pouco benefício, já que vejo mais filmes fora de casa – em salas de cinema ou na biblioteca da faculdade onde dou aula – do que lá.

Se meu notebook tivesse um leitor de Blu-Ray, provavelmente eu compraria também um player de mesa. Mas imagine a situação posterior: gastar R$ 90 (ou mais!) para comprar um filme no formato e não ter tempo para vê-lo, por não parar em casa? Fora de cogitação.

Além do mais, ainda tenho sérias dúvidas sobre o futuro do formato. A distribuição de cópias digitais de filmes em alta definição, de forma legalizada, avança a passos largos. Daqui a dois ou três anos, a gente vai poder baixar o conteúdo completo de um disco BD, sem sair de casa, e a um preço bem mais baixo do que custa o disco físico.

Mesmo assim, estou seriamente inclinado a iniciar minha coleção pessoal de filmes em Blu-Ray agora em dezembro. Sim, antes mesmo de comprar um player. Foi assim também com o DVD, já que comecei a comprar filmes no formato, em 1999, alguns meses antes de adquirir o aparelho (um Pioneer maravilhoso que continua na minha sala, nove anos depois).

A título de curiosidade, meu primeiro DVD foi “Matrix” (ganho em um amigo secreto). No dia em que comprei o aparelho, também passei numa loja aqui no Recife, chamada Aky Vídeo, e levei para casa “O Exorcista”. Esses dois filmes deram partida a uma coleção que já ultrapassou os dois mil títulos.

Mas voltemos ao assunto principal. Meu sonho de consumo imediato atende pelo nome de “Wall-E”. Todo mundo que lê o site deve ter percebido que o filme de Andrew Stanton encabeça a relação dos melhores lançamentos de 2008, na minha humilde opinião.

Pois bem: a Buena Vista vai cometer o crime de não lançar no Brasil a versão em DVD triplo disponível nos EUA. Aqui, o disquinho será simples. Ou seja, sem os documentários que esmiúçam o processo de criação do incrível desenho de som, por Ben Burtt. Documentários sobre a fotografia maravilhosa? Nenhum.

No auge do desespero, decidi comprar o DVD importado (como fiz com “Zodíaco”, de cujos documentários sensacionais a Warner também nos privou). Enquanto pesquisava os preços na Internet, dei de cara com um artigo escrito pelo ótimo crítico norte-americano James Berardinelli (www.reelviews.com).

Ele, que é um sujeito muito sensato e acumula conhecimento enciclopédico na área, já havia escrito alguns textos ressaltando como o Blu-Ray não lhe parecia um avanço tão significativo em relação ao DVD (apaixonado por “Patton”, Berardinelli comprou um PS3 apenas para ver o clássico com George C. Scott, e não viu nenhuma diferença para o filme projetado em DVD). Pois bem: o cara garante que “Wall-E” é o primeiro filme internacional cujo conjunto imagem/som parece realmente muito mais avançado no novo formato, deixando o antigo no chinelo.

O Blu-Ray brasileiro sai com todos os extras (ao inacreditável preço de RS$ 130). Um roubo. Mas sabe do que mais? Acho que vou comprar. Talvez compre junto a versão restaurada de “O Poderoso Chefão”. Seria um duplo incentivo para migrar, finalmente, para o mundo da alta definição. Como a TV digital chega ao Recife em 2009, apenas estaria me adiantando em alguns meses a uma mudança mais ou menos obrigatória.

Ainda não perdôo a Buena Vista pela lambança (repetida, pois fizeram o mesmo com o também genial “Ratatouille”). E não custa lembrar que a mesma empresa se recusa, até hoje, a lançar a belíssima edição especial de “Pulp Fiction” em DVD duplo no Brasil. Tomara que torrem no inferno dos VHS podres, aqueles executivos gananciosos. Pelo histórico, do ponto de vista do consumidor, a Buena Vista é a pior das grandes empresas distribuidoras de filmes no mercado nacional de vídeo doméstico.

Sei que deveria fazer algum tipo de boicote e não comprar o filme. Seria uma atitude sensata. Mas eu não sou sensato. E não quero me punir ao ficar sem os extras do longa-metragem que amo. Que seja bem vindo o Blu-Ray, pois.

18 comentários em “Blu-Ray x DVD

  1. Blu-Ray? Nem pensar! Não posso me dar ao luxo de comprar filmes à R$ 100.00 em média.
    Sou pai de família e seria um irresponsábilidade enorme minha na qualidade de pai. Amo filmes, mas não preciso deles pra viver. Acho que tudo tem limites. Eu tirar da carteira R$ 100.00 pra comprar um filme? Não iria ficar bem comigo mesmo. Vou deixar isso pra Rodrigo que tem boas condições, graças à Deus. Abraço!

    Curtir

  2. Com certeza esse foi o texto mais divertido que vc escreveu, hehhe, é bom saber que vc não é uma pessoa sensta :P, Rodrigo, é sempre muito bom ler textos em que vc quase pode conversas com o autor. Quanto ao Blue Ray, acho que ainda vai demorar pacas pra pegar, principalmente no Brasil, onde até a primeira leva de tentativa de introdução do DVD falhou.

    Curtir

  3. Pô, Fernando, eu não sou rico!! Sou um mero editor de Internet/TV e professor universitário!! E minhas filhas vêem em primeiro lugar, claro. Mas eu tive paciência e sensatez de comprar casa, carro e a infra-estrutura de uma família antes que elas nascessem. Aí as coisas ficam mais fáceis. Anyway… também concordo mais ou menos que o Blu-Ray pode demorar muito a pegar (talvez nem pegue). Ah, Luzonaldo: também gosto muito de escrever no blog, me permite viajar e pensar alto. Só que nem sempre eu tenho algo legal a falar. Por isso abri uma conta no Twitter. As abobrinhas todas agora vão pra lá. Pode acessar clicando no link aí no rodapé.

    Curtir

  4. Eu sei disso, Rodrigo. Na verdade eu só quis brincar um pouco contigo. Mas o que eu falei é sério. Acho um absurdo o que cobram por um disco Blu-Ray. Sou colecionador como você e dá até preguiça de pensar em trocar todos os meus títulos de dvd’s por B-Ray.

    Curtir

  5. Porra, Rodrigo, mandar a Buena Vista queimar no inferno dos VHS podres? Eles não merecem nem os VHS, que para mim possuem um valor nostálgico inestimável! Que queimen no inferno do Capeta mesmo!

    Para mim uma coleção de Blue-Ray ainda está fora de cogitação, por pelo menos um ano, ou mais. Isso depende de duas coisa: se o formato pegar, obviamente, e até que ponto as produtoras deixarem extras de fora das versões em DVD, como está acontecendo com Wall-E e O Cavaleiro das Trevas (ambos estarão em minha coleção no “antigo” formato DVD!).

    E voltando à Buena Vista, eu nunca a perdoarei por ter feito com que eu comprasse o “Pulp Ficton” american version (um tesão, by the way!).

    Abraços!

    Curtir

  6. Blu-Ray agora?! Nem pensar!!! Não acho vantagem pagar R$ 100,00 num disco daqueles, fora toda a grana gorda que vc tem que desembolsar para comprar um aparelho reprodutor e tb uma Tv de alta definição!!
    Vou ficando mesmo com meu DVD. Pois como dizem por aí, o futuro do cd e Dvd é muito indefinido!!
    E acho difícil que o Blu-Ray venha a pegar mesmo. Isso me faz lembrar bastante o LD, que eram aqueles enormes discos espelhados, que não ganhou a popularidade aqui no Brasil.

    Curtir

  7. Rodrigo e todos outros que estao desanimados em compra BD’S eu falo comprem importados, grande parte dos BD’S vem com legenda em portugues e alguns ate msm com audio, o acervo da sony por exemplo a grande maioria tem legenda, e qdo a versao americana nao tem a legenda a versao Europeia geralmente tem e legenda em portugues “brasileiro”, eu coleciono dvds ate hj mas nao resisti e ja to começando a coleçao de BD’S

    Curtir

  8. Pôxa, vocês são tão pouco entusiastas do Blu-Ray. Talvez porque nunca viram uma emissão de alta definição se comportem assim. Imagino quando assistirem a filme em Blu-Ray numa TV Full HD. Vou dar umas dicas: antes de comprar um player de Blu-Ray, ou mesmo um PS3, primeiro se adquire uma TV de alta definição e um player de DVD com up-scaling. Só com isso, a coisa já muda da água pro vinho. Nunca mais vcs vão querer ver um filme muma velha TV SD, que não vai servir para outra coisa: ser doada à empregada ou ao zelador do prédio. Não se preocupem com a coleção de DVDs: ela vai valer muito, mas será substituída mais ou menos como os discos de vinil foram substituídos pelos CDs. Outra coisa: talvez seja mais econômico alugar os filmes que comprá-los… Pelo menos neste primeiro momento, com os alto preços do Blu-Ray, deve-se escolher a dedo o que se deve comprar. E mais, não vejo diferença entre a Buena Vista e outras majors. Tirando alguns deslizes, a Buena Vista e a Universal/Paramount/Dreamworks são as majors que garantem legendas nos comentários de todos os seus discos. Só por isso, a Buena Vista está a um passo além de suas concorrentes, como a Warner, a Fox-MGM e Columbia.

    Curtir

  9. Aviso rápido aos interessados eventuais: o comentário do Josielson foi editado. Não costumo censurar comentários, e mantive a opinião discordante dele (algo muito saudável), mas retirei um trecho que incentivava a pirataria e também eliminei a frase final, que incluía uma ofensa pessoal. Aliás, tentei conversar antes com ele sobre isso, escrevendo uma mensagem privada. Utilizei o endereço eletrônico registrado por ele ao escrever o comentário. Infelizmente, o Josielson usou um endereço falso. Minha mensagem retornou. Fica aqui o registro.

    Curtir

  10. [Blu-Ray pode demorar muito a pegar (talvez nem pegue). ]
    Li, na internte, que em breve o Blu-Ray já tem seus dias contatod e logo, logo outra tecnologia irá suplantá-lo. Acho q por aki, como as tecnologias chegam com certo atraso em relação a spaíses de ponta o Blu-Ray não vai nem esquentar…

    Curtir

  11. Por esses deslizes nos extras e falta de capricho nas edições nacionais é que fico mesmo no DiVX, que está cada vez melhor. Ou mesmo no piratão da esquina. Pagar 100 pra receber 10 n dá

    Curtir

  12. Tenho uma full hd de 42″ os filmes no meu dvd sony ( horrivel ) ficam com uma imagem ruim. Vi nos comentarios que o blu-ray pode não emplacar no brasil.
    Mas ja estamos em fev de 2010. Gostaria de saber se ainda as pessoas tem esta mesma opniao.
    PS. Estou em dúvida se compro um blu-ray ( samsung db-p1600 ) ou um dvd-player com upscan. Algém poderia me ajudar.

    jacksonduarte@gmail.com

    Curtir

  13. e então, Rodrigo, pouco mais de 2 anos depois, já aderiu de vez ao mundo da alta definição e blu-ray? a venda de filmes em formato digital pela internet ainda parece estar longe e o BR vai se firmando cada vez mais.

    Curtir

  14. rodrigo. finalmente comprei um blu-ray. desde que vc escrveu esse texto já viu O Poderoso chefão em Blu ray??? Vale a pena memso comprar de novo???? Agradeço a atenção.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s