Carlos Saldanha

Os últimos cinco anos, marcados pela evolução tecnológica, foram excepcionais para o cinema de animação. Empresas como Pixar e PDI quebraram várias barreira do setor: introduziram piadas e contextos adultos nos filmes para crianças, criaram e aperfeiçoaram ambientes em três dimensões de enorme perfeição. Isso se traduziu em filmes como “Toy Story 2” e “Monstros S/A” (da primeira, distribuídos pelo estúdio Disney), “FormiguinhaZ” e “Shrek” (da segunda, ligada à DreamWorks). Num mundo de tecnologia tão perfeita, os mais céticos poderiam pensar que não haveria lugar para brasileiros.

Ledo engano. O carioca Carlos Saldanha, 35 anos, está aí para provar isso. Trabalhando há nove anos para o estúdio novaiorquino Blue Sky, ele é o primeiro brasileiro a co-dirigir um longa de animação digital em Hollywood. O melhor é que seu filme, “A Era do Gelo”, marcou também a estréia da Blue Sky fora do setor da publicidade e o retorno triunfal da Fox ao mundo dos desenhos animados.

Nascido no Rio de Janeiro, Saldanha se mudou para os EUA em 1991, para fazer mestrado na Escola de Artes Visuais de Nova Iorque. Logo chamou a atenção de um professor que era sócio da Blue Sky. Contratado como animador, Saldanha impôs seu talento e virou diretor da empresa. Em “A Era do Gelo”, coordenou o trabalho de animação dos personagens e participou de todas as etapas da criação. Nesta entrevista, concedida de Nova Iorque por e-mail, ele diz que há espaço para brasileiros no setor de animação de Hollywood e defende que a tecnologia não significa nada se não vier associada a um bom roteiro.

A grande evolução tecnológica no setor de animação já possibilitou até mesmo a criação de um filme com atores digitais, Final Fantasy. Existe limite para essa evolução? Quais deverão ser os próximos avanços técnicos do setor, e quais os grandes desafios da atualidade?
Carlos Saldanha – A computação gráfica vai continuar evoluindo cada vez mais, impressionando o publico com efeitos especiais sofisticados, criando personagens e ambientes que antes não se podia imaginar que fossem possíveis de ser criados, tal como os humanos do filme “Final Fantasy”. Mas acho que ainda temos muito trabalho pela frente, e o futuro da animação não depende somente destes avanços tecnológicos. Com tempo e dinheiro tudo é possível. O verdadeiro desafio é, e sempre será, o de continuar a criar histórias e personagens interessantes e carismáticos, que possam prender o publico e levar mais pessoas aos cinemas – não só as crianças, mas toda a família.

Hoje, a animação já é feita para agradar a adultos e crianças, mas os filmes com temática basicamente adulta ainda não fazem sucesso. Você acredita que os avanços tecnológicos podem possibilitar o surgimento de um nicho de mercado no setor destinado a filmes adultos?
Saldanha – Acredito que se os filmes para adultos tivessem tido boas histórias, talvez tivessem obtido maior sucesso junto ao público. O mercado tem espaço para tudo e todos. Cada estilo de filme pode encontrar ou criar o seu próprio nicho, como o que acontece no mercado japonês, onde filmes de animação para adultos são muito populares e agradam muito. Mas continuo com a opinião de que a tecnologia é importante para dar liberdade criativa a diretores e animadores, e pode ser um grande atrativo para as pessoas irem ao cinema, só que não funciona sozinha. Acho que o público vai assistir a um filme para se identificar com a história e com os personagens, e se o visual é interessante e inovador, então o filme emplaca. A tendência será de criar filmes que agradem a todas as faixas etárias, como com “Shrek” e “A Era do Gelo”.

Na produção de “A Era do Gelo”, qual exatamente a função que um co-diretor precisou desempenhar?
Saldanha – Eu me envolvi com o projeto desde o início do desenvolvimento do roteiro. Participei do processo criativo de todas as seqüências. A nossa equipe criativa era muito grande e talentosa e todos contribuíram para o desenvolvimento do filme. Mas durante todo o projeto a minha responsabilidade principal como co-diretor, além de dividir algumas das tarefas criativas com o diretor, Chris Wedge, foi a direção da animação. Fiquei responsável pelo grupo de animadores, os técnicos que desenvolveram os personagens e as cenas. Trabalhava diariamente com todos os animadores para obter as melhores atuações possíveis dos nossos personagens. Tentamos desenvolver um estilo próprio de animação, que fosse divertido, dinâmico e de qualidade.

Como foi o processo de produção de “A Era do Gelo”? Quanto tempo o filme levou para ficar pronto, desde a aprovação do roteiro?
Saldanha – O filme levou três anos para ser feito. Passamos um ano trabalhando com o roteiro, adaptando a idéia original para animação, transformando a idéia original, que era mais dramática, para uma estória com bastante humor e aventura. Depois foram dois anos de produção. O trabalho foi intenso, mas valeu a pena.

O que é mais difícil num filme animado: lapidar o roteiro ou desenvolver as técnicas de animação?
Saldanha – Trabalhar com roteiro é sempre o maior desafio. Criar comédia é muito difícil e demora tempo para assimilar todas as idéias e passá-las para o papel. Já com animação, o trabalho é sempre intenso e o tempo é curto, mas se você gosta do que faz acaba de divertindo bastante. É muito gratificante. E parte desta diversão é explorar técnicas diferentes para criar um estilo próprio, fazendo um trabalho interessante e divertido de se ver.

Você e a Lúcia Modesto, que trabalhou em “Shrek”, são os animadores nacionais mais conhecidos no exterior. Existe mercado nos EUA para brasileiros que se destacam, no setor de animação, ou seu caso é uma exceção feliz?
Saldanha – Conheço vários animadores brasileiros talentosos por aqui, e eles estão presentes em todas os estúdios de animação nos EUA. O mercado é bem aberto e temos vários estrangeiros em nossa equipe. Se você é talentoso e profissional, não importa da onde vem, as portas sempre estarão abertas. No meu caso acho que sou o primeiro diretor brasileiro a fazer este tipo de trabalho, mas acho que muitos ainda virão.

Em 2001 tivemos um longa, “O Grilo Feliz”, de Waldecy Ribas; e alguns curtas de animação bem sucedidos, como “Deus É Pai”. O que você pensa do atual estágio da animação nacional? É possível criar um mercado para esses filmes aqui?
Saldanha – Procuro sempre me manter informado do progresso da animação no Brasil. Tento manter bastante contato com as pessoas engajadas no assunto, e sempre que posso vou ao Brasil fazer palestras e dividir um pouco do que aprendi ou desenvolvi com os animadores daí. Acho que temos talentos incríveis e a cada ano que passa, com a ajuda de festivais como o AnimaMundi, no Rio, o mercado se profissionaliza e se amplia. É difícil comparar o mercado americano com o brasileiro, mas acho que é possivel fazer algo similar. Existe talento, mas falta apoio financeiro.

Seus próximos projetos profissionais são todos ligados à Blue Sky? O que podemos esperar das futuras animações da empresa?
Saldanha – Estou na Blue Sky há nove anos e cresci com a companhia. Sou cria da casa e tenho bastante liberdade criativa para fazer projetos que me inspiram e me mantêm apaixonado por animação. Espero poder continuar a dirigir muitos mais projetos de animação pela frente.

Anúncios

19 comentários em “Carlos Saldanha

  1. eu sou novo tenho apenas 15 anos sou fanatico por 3d eu acho pessoalmente quer carlos saldanha e um orgulho de qualquer animador brasileiro quando faço um tutorial 3d max a minha inspiração nele o cara e um genio

    Curtir

  2. olá a todos fico orgulhosa de saber que temos um brasileiro fantástico como Carlos Saldanha será que alguém tem email dele ou qualquer forma de comunicação com ele algum endereço!!agradeço imensamente se alguém puder me ajudar preciso enviar um livro pra ele!!

    Curtir

  3. Sou muito criativa e tenho grandes idéias para produções de animação.Gostaria que vocês me enviassem o email do Carlos Saldanha,uma inspiração para todos os brasileiros.

    Curtir

  4. Prezados amigos tenho paralisia infantil .Tive a doenca aos tres anos de idade ,entao nao andei mais.E o pior e que cada dia que passa eu estou me prejudicando mais.Pois minhas pernas estao se atrofiando ,eu gostaria muito de ganhar uma cadeira de rodas motorizada,para eu poder me locomover sozinho sem depender tanto das pessoas,que as vezes nao podem me ajudar quando,preciso.Ha casa onde moro é emprestada e,esta quase caindo.Eu teho medo disto tambem pois as casas sao muinto velhas com quase 100 anos.Por favor gugu me ajude a conseguir esta cadeira de rodas motorizada,o que muito me ajudara.Jesus te abencoe gugu.meu nome e mauro cesar paiva silva eu moro na rua marechal deodoro 697 bairro sagrado coracao de jesus cidade de formiga minas gerais cep 35570000.Eu aguardo com deus uma resposta sua Jeus te abencoe . gostaria que voce viese para ver a minha situaçao
    e de minha casa posis esta presisa do muito de uma reforma por
    isso estuo te pedindo que venha me ajudar areformar minha casa
    e realisa o meu sonho de ter minha casa reformada e miha cadeira
    de rodas motorisada pois vou voutar a estudaporiso esa cadira vai me ajudar miuto gugu mede este presente de nataleste eo meu
    maior sonho.

    Curtir

  5. Caros, não foram poucos os e-mails que recebi até hoje, sempre pedindo o contato de Carlos Saldanha. Gostaria de esclarecer a todos – como já fiz várias vezes – que esta entrevista foi feita através da assessoria de imprensa da Fox no Brasil. Não troquei e-mails diretamente com Saldanha, de modo que não possuo contatos dele. Quem quiser, fale diretamente com a Fox.

    Curtir

  6. Meu nome é carpinter, trabalho numa grafica chamada Grafica Artecenter Signs, ela se localiza no pais brasil, cidade rio de janeiro, bairro jacarepaguá, rua andre rocha nn. 3015 junto ao sub-bairro chamado Curicica, ponto de referencia largo da preguiça, esta ai o motivo de escrever para carlos saldanha, sei que talvez vc não leia este texto mas alguem que trabalhe ou conhece carlos saldanha, peça a ele que eleia com atenção. A historia é a seguinte: A grafica precisava de uma figura comerciavel para o bairro, então após assistir todos os filmes lembrei do amigo SID o bicho preguiça, com isso me veio a ideia de estar localizado no largo da preguiça e a minha vontade é fazer um projeto grafico da minha empresa através do Sid, mas para isso preciso de uma autorização de quem tem os direitos autorais, lembrando que a minha empresa é MPE, estou tentando fazer algo para chamar a atenção. por favor entre em conto comigo.

    meu e-mail: mvcarpinter23@gmail.com
    tels.: 55 21 95316797

    Curtir

  7. Olá,sou SCHEILA COUTO,66 aninhos,aposentada,advogada pela USP,,artista plástica e escritora gênero ficção infanto juvenil. Lancei o livro “As Aventuras do Robô Tagarela”,que de infantil tem pouca coisas,aborda o ano 3000 com visão político / ecológica.Sonho em rodar um filme:- inscrevi-me no Aprendiz 4,com o roteiro,representei Cuiabá,mas segui apenas até os 32 semifinalistas (dentre 28 mil inscritos com uma “boa idéia”). Enviei até a maquete que fiz, reciclável,para o Steven Spilberg. Por absurda BUROCRACIA brasileira (entenderam que o roteiro em inglês ERA do Steven …) não liberaram meus Direitos Autorais em tempo hábil.Ao ligar para o Rio ,setor de patentes e direitos autorais,perceberam o equívoco:_”A história é tão linda,nem pensei que tinha sido escrita por brasileira ,desculpa aê.”, foi o que ouvi. E mandaram os meus Direitos Autorais que o correio entregou no MESMO dia em que a Dreams Work devolvia meu roteiro fechado: são corretos e não lêem nada sem os Direitos Autorais.Se puderem repassar meu e-mail para o Carlos Saldanha,gostaria de enviar meu livro pra ele. Tenho ORKUT – lá eu sou Meire Scheila.Meu cel é 65-8414-8477.Ganhei o concurso cultural do Shoptime , Meus 15 anos, e viajarei para Aruba em 19 de maio.Ficarei uma semana fora do Brasil,mas levarei o celular.Grata pela atenção,Scheila Couto
    A ESPERANÇA É A ÙLTIMA QUE FALECE!!!!!

    Curtir

  8. Olá,sou SCHEILA COUTO,aposentada,advogada pela USP,,artista plástica e escritora gênero ficção infanto juvenil. Lancei o livro “As Aventuras do Robô Tagarela”,aborda o ano 3000 com visão político / ecológica.Sonho em rodar um filme:- inscrevi-me no Aprendiz 4,com o roteiro,representei Cuiabá,mas segui apenas até os 32 semifinalistas (dentre 28 mil inscritos com uma “boa idéia”). Enviei até a maquete que fiz, reciclável,para o Steven Spilberg. Por absurda BUROCRACIA brasileira (entenderam que o roteiro em inglês ERA do Steven …) não liberaram meus Direitos Autorais em tempo hábil.Ao ligar para o Rio ,setor de patentes e direitos autorais,perceberam o equívoco:_”A história é tão linda,nem pensei que tinha sido escrita por brasileira ,desculpa aê.”, foi o que ouvi. E mandaram os meus Direitos Autorais que o correio entregou no MESMO dia em que a Dreams Work devolvia meu roteiro fechado: são corretos e não lêem nada sem os Direitos Autorais.Se puderem repassar meu e-mail para o Carlos Saldanha,gostaria de enviar meu livro pra ele. Tenho ORKUT – lá eu sou Meire Scheila.Meu cel é 65-8414-8477.Ganhei o concurso cultural do Shoptime , Meus 15 anos, e viajarei para Aruba em 19 de maio.Ficarei uma semana fora do Brasil,mas levarei o celular.Grata pela atenção,Scheila Couto

    Curtir

  9. ola meu nome ,e rogerio martins desenhista e escultor formado em artes plastica ,gostaria do contato de carlos saldanha por ja tenho um roteiro de um desenho todo montado e desenhado enfim a historia completa criada por mim obrigado agradeço po enguanto.

    Curtir

  10. Olá, meu nome é Leonardo,
    também gostaria do contato do Carlos Saldanha, criei um personagem para ser o mascote da copa de 2014 ou talvez da olimpíadas de 2016. Gostaria de saber se ele tem interesse. Sozinho é muito difícil de ir adiante.

    Curtir

  11. gostaria que meu comentario chegasse ate o Carlos Saldanha,
    Olá, meu nome é lourivanem,
    minha familia mora na cidade de Arinos – Mg eu mudei para Uberaba- MG, na esperança de estudar artes, porque tenho muita facilidade em desenhar, criar personagens e historias sinto que nasci com este dom, porque desenhar é tudo pra mim, so que em uberaba nao tem escolas de artes, entao resolvi fazer o curso de direito, que nao tem nada a ver com o que eu gosto
    o que eu quero é apenas uma oportunidade para vencer na vida, porque eu sei que sou capaz so nao tive a oportunidade ainda, aqui em uberaba eu moro de aluguel trabalho para me manter e pagar a faculdade e o aluguel, confeço que as vezes passo apuros mas nunca desistir de lutar pelos meus objetivos. por favor me responde mesmo que seja para dizer sinto muito. lourivanem.motoliber@hotmail.com contato: 34 9950-2705 / 3311-1125

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s